sexta-feira, 8 de junho de 2012

Atividade: 10 mentes mais influentes do Renascimento Cultural


Semana do meio ambiente: Escola Joaquim Valdevino de Brito



 Eles, os alunos
 Turma da Peça Ecológica
 O projeto  de xadrez do professor Beethoven
 Flash do pessoal do 3C - TARDE
 As dançarinas ecológicas
As dançarinas( Aline, Miscilane, Francile, Eva, Edneide e Geane) no camarim

 Nesta sexta ( 08.06), no Pólo de Laser Vereador Edvardo Ribeiro da  Silva  se deu  culminância da semana do Meio Ambiente   promovida  pela E.E.M. Joaquim  Valdevino de Brito, de Ponta da  Serra, com vários eventos, tais como , peça teatral, com tema sobre  a conservação  meio  ambiente,  encenado  pelos alunos, apresentação do projeto de Xadrez,    danças e vídeo com o técnico  , da ACB, sobre a utilização de agrotóxicos no campo.


sábado, 2 de junho de 2012

REVOLUÇÃO RUSSA ALGUNS PONTOS IMPORTANTES DO MOVIMENTO – Extraídos da revista HISTÓRIA VIVA- edição de Nº 18



01 – Revolução Russa :  o momento mágico em que os trabalhadores reescreveram a história  com suas próprias mãos;
02 – Lênin  foi o homem  com o maior  impacto individual na história do século XX – na verdade, do “breve século XX” (  DA PRIMEIRA Guerra mundial em 1914 à dissolução da União Soviética, em 1991, segundo  Eric Hobsbawm;
03 – “As expressões rudes dos delegados  ao congresso dos sovietes evidenciavam que a Rússia fora sacudida até as entranhas”
04 – “Em nome  do Comitê Militar Revolucionário Trotsky declarou que o governo  provisório de Kerenski não existia mais.
05 – SOVIETES – significa conselho, tendo os primeiros sido criados  durante a Revolução de 1905, e em 1917, após a revolução de fevereiro, multiplicaram-se entre os operários, soldados e camponeses;
06 – “A Industrialização acelerada e a opressão absolutista contribuíram para a concentração e a combatividade dos operários russos”
07 – Características do Antigo Regime;  01 – Estrutura  primitiva; 02 – Atraso econômico (– O Comércio e Indústria dependiam do capital estrangeiro); 03 Lentidão de sua  evolução social;
08 – Mais de cem  nacionalidades e grupos étnicos distintos, dentro  de um vasto território, de 22  milhões de km2;
09 – A s terras se concentravam nas mãos  da nobreza, e 80% da população era rural;
10 -  A concentração  industrial  e a opressão  absolutista contribuíram  para a enorme combatividade  dos operários  russos;
11 – São Petersburgo, a nova capital, a janela para a Europa;
12 – O Comércio e Indústria dependiam do capital estrangeiro;
13 – A introdução do capital, da técnica e do saber  europeu conduziram  para a fortificação  do Czarismo;
14 – As amarras características do Regime de servidão dificultaram  a modernização da produção industrial na Rússia;
15 – A abolição da servidão no Império Russo, em 1861, possibilitou a formação de uma reserva  de trabalho “livre”;
16 – Na Rússia, o capital industrial  estrangeiro preocupava-se  apenas em explorar as riquezas e a mão  de obra locais;
17 -  A grande industria russa não se desenvolveu organicamente,  passando pelas etapas do pequeno artesanato e  da manufatura;
18  - O desenvolvimento capitalista acelerado da Rússia gerou um operariado combativo, que fez três revoluções  em 12 anos;
19 – A abolição da servidão abriu caminho  para o desenvolvimento  capitalista da Rússia  e gerou enormes migrações para as cidades;
20 – O soviete, forma de organização  surgida na Revolução   de 1905, seria retomado espontaneamente pelas massas em 1917;
21 – Muitas vezes apresentado como o protagonista da história , o partido bolchevique foi resultado de uma complexa trajetória  revolucionária;
22 – O s desdobramentos  da Revolução de 1905 tornaram mais nítidas as divergências entre as duas correntes o POSDR;
23 – Em agosto de 1917, no VI Congresso bolchevique, a organização liderada por Trótski fundiu-se ao partido de Lênin ( bolchervique);
24 -  Em 1903 teve  lugar a cisão entre mencheviques e bolcheviques, e em 1912  a fração bolchevique tornou-se  definitivamente um partido independente;
25 – Sovietes de  Operários + Camponeses + soldados  = Revolução russa ;
Operários (  manifestação  pelo controle  da produção, eleições  constituintes e  uma paz sem  guerra;  Camponeses(   manifestação  pela posse da terra); Soldados (  manifesto contra as hostilidades da guerra, como castigos e outros)
26 – Revolução > Contra – revolução > Guerra Imperialista;
27 – O outubro Vermelho  foi um Golpe de Estado clássico conduzido  não pelos sovietes ,mas pelos  bolcheviques, portanto,  a decisão  de tomar o poder foi pelo partido bolchevique e não pelos sovietes;
28 – As greves , manifestações e confrontos que se  sucederam na Rússia desde fevereiro de 1917 prepararam as condições políticas para a Revolução de Outubro;
29 – A tática das “ondas humanas” multiplicou as baixas russas no conflito mundial, que chegaram a 4 milhões em três anos;
30  - Antes da Revolução  de Outubro, os bolcheviques tinham alcançado a maioria  nos sovietes de operários e soldados;
31 -  Segundo Lênin, Trotski e outros  dirigentes, o assalto ao poder em 25de outubro de 1917 inaugurou o ano I  da revolução mundial;
32 -  A Revolução de outubro ocorreu praticamente sem derramamento de sangue, mas logo e teve  início uma longa e cruel  Guerra Civil;
33 – Em meados de 1918 começou a guerra civil nos territórios do antigo Império Russo, vencida pelo Exército Vermelho em 1921;
34 – TRÓTSKI  X BAKHARIN ;  Trotiski  defendia parar a guerra, mas sem  assinar a Paz, portanto, a teoria  da Revolução permanente; BAKHARIN:  defendia a guerra  revolucionária  contra a Alemanha
35 – A Trajetória de um intelectual revolucionário:  Estudioso e, ao mesmo tempo, homem de ação, Lênin , segundo Eric Hobsbawm  o personagem  mais influente do século XX;
36- segundo Lênin, a dualidade de poderes na Rússia favorecia a derrubada do governo burguês pelos sovietes de operários, camponeses e soldados;
37 -  Em quatro anos de lutas o Exército Vermelho liderado por  Trotski assegurou a sobrevivência da Rússia soviética, fortaleza sitiada pela contra – revolução;
38 – O Governo provisório de Kerenski desejava  que a  guerra continuasse, contra a Alemanha;
39 – Na Revolução de  outubro, a Guarda Vermelha do soviete de Petrogrado ocupou os pontos  estratégicos  da capital  russa;
40 – Os  anarquistas  na Revolução  Russa: O regime bolchevique seria capaz de mudar  o mundo? Para os ideólogos liberários (                                                                       ) a resposta era não; Ao  contestarem  os socialistas  autoritários , os anarquistas russos foram estigmatizados  como inimigos do regime soviético;
41 – O martelo, a foice e a Cruz;  na Rússia revolucionária, como acontecera  na França do final do século XVIII, derrubar o poder divino dos reis implicava, igualmente, atacar a igreja.

Coletado por: Antonio Correia Lima - TOINHO - Prof. de Hisdtória
                             



QUADRO SINÓTICO BASEADO EM HISTÓRIA GERAL E DO BRASIL ( Cláudio Vicentino e Gianpaolo Dorigo) SOBRE A REVOLUÇÃO RUSSA - 1917



Na  Revolução Russa , líderes do proletariado comandaram o processo revolucionário, forçando  uma ruptura social e política  inéditas cujos desdobramentos  se refletiram   internacionalmente por todo o século XX. Entretanto, como se verá no decorrer desta abordagem, após os acontecimentos  de 1917 o movimento revolucionário não manteve coerência em  relação aos desafios postos pela sociedade soviética e pela  comunidade internacional.
I - A CORROSÃO DO CZARISMO (  O CONTEXTO DA REVOLUÇÃO ):
1.1 - O CZAR - No início do século XX, o povo russo ainda era governado por um CZAR (                      ) Nicolau II, imperador  com poderes ilimitados, cuja monarquia se pautava no Direito Divino, legitimada  pela Igreja ortodoxa;.
1.2 – CONTRADIÇÃO:   os valores impostos pelo Antigo Regime  russo  chocava-se  com o mundo capitalista emergente( iniciante); A modernização industrial  aumentava  o contraste entre a estrutura Oligárquica que sustentava o Czar  e as cidades modernizadas;
1.3 – A SOCIEDADE:  os grande proprietários  de terras, o Clero e os Oficiais  do Exercito estavam  no topo da pirâmide  social, configurando uma sociedade baseada na pose da terra e de títulos honoríficos, com uma estrutura voltada  para o mundo feudal, sem o dinamismo de outras sociedades capitalistas;
1.4 – SERVIDÃO:  os nobres proprietários possuíam  a maior parte das terras  cultiváveis e exploravam  o trabalho dos camponeses, que viviam em situação próxima  da servidão;
1.5 -  REPRESSÃO:  contribuía para a manutenção do Czarismo, especialmente, com a atuação da Okrana( polícia policial) , que perseguia as manifestações  populares;
1.6  – TÍMIDAS POLÍTICAS MODERNIZADORAS;  desde o final do século XIX diversos imperadores vinham  adotando  tímidas políticas  modernizadoras ( Abolição da  servidão e o Incentivo ao  investimento estrangeiro);
1.7 – ANARQUISTAS E MAR XISTAS: conseguiam  difundir suas idéias  entre as populações  urbanas  e rurais, e grandes greves  operárias marcaram a Rússia  do começo do século XX;
1.8  – POPULAÇÃO:  A Rússia  concentrava  a maior população  da Europa, apx. 175 milhões de hab. , sendo que 85% dessa população era constituída de  trabalhadores rurais;
1.9 - A TERRA: tinha preço elevado, que impossibilitava  os camponeses adquiri-las;
1.10  - TECNICAS AGRÍCOLAS:   por demais atrasadas  o que desencadeava  a fome e revoltas no campo ;
1.11 - A INDUSTRIA:  nasceu dependente  do capital  estrangeiro: Metalurgia, Mineração e tecelagem  favorecidas  pela grande oferta  de mão de obra  gerada  pelo  Êxodo Rural;
1.12 –JORNADA DE TRABALHO: A classe operária  vivia a trabalhava em condições precárias com jornada  de trabalho de até 14 horas diárias e sem nenhuma legislação trabalhistas
1.13 – DINASTIA RAMANOV: desde 1613  no poder, governando de forma  autoritária, e o CZAR  se confundia  com o Estado  e agia  politicamente sustentado na grandeza imperial e voltado  para a ampliação de seu poder  déspota ( poder sem limites), o que deixava a burguesia insatisfeita;
1.14 – NO PLANO INTERNACIONAL:  a corrosão  do czarismo, devido o seu caráter despótico, em contraste com os regimes constitucionais de muitas mações européias, também se revelava no plano internacional no jogo das  de forças  com outras potências  por domínio imperialista
1.15 – FRACASSO DO CZAR NICOLAR II ( Guerra Russo – Japonesa -1904 – 1905): que  ao disputar a Coréia e a Manchúria, acabou por incentivar as forças de oposição a intensificar  o desagravo ao despotismo  dos Romanov;
NOTA: ALGUNS CONEITOS
01 – OLIGARQUIA.>  governo da minoria, isto é, exercido  por um pequeno grupo de pessoas ou família;
02 – ANARQUISMO >   teoria política que considerava o governo ou  a dominação um  mal;
03 – DESPOTISMO >  sistema de governo absolutista  ( tirania, opressor);
04 – MARXISMO > Sistema político e econômico dos alemães Karl Marx e Engels
05 – SOCIALISMO > Conjunto de doutrinas que se propõem  promover a bem comum para transformação da sociedade e das relações  entre as classes sociais, mediante  a alteração do regime de propriedade.
06 –AUTOCRACIA;  governo exercido por monarca com poder ilimitados
 1.16 – DOMINGO SANGRENTO ( 22.01.1905 – SÃO PETERSBURGO: numa manifestação pacífica  que tinha por objetivo solicitar ao CZAR a convocação de Constituição, e implantação de melhores  condições de trabalho e regras trabalhistas, acabaram por serem  dizimados pelos tropas de soldados e da polícia;
1.17 – LEVANTE MILITAR NO ENCOUROÇADO POTEMKIN e o FIM DO CONFLIETO COM O JAPÃO -  navio da esquadra do Mar Negro, onde se deu  um levante militar, situação essa, que obrigou o CZAR a assinar  o Tratado de Portsmouth, em 05 de  setembro de 1905, pondo fim  ao conflito com o Japão.
1.18 -: PENALIDADE:  Ao Governo russo  foi obrigado a entregar  ao Japão a parte setentrional  da ilha de Sacalina e a Península  de Liaotung e a reconhecer  os direitos exclusivos dos japoneses sobre a Coréia.
1.19 - MANIFESTAÇÃO DE  OUTUBRO: Lançado pelo Czar, diante das fortes manifestações  de descontentamento com o  sistema , prometendo a instauração de uma Monarquia constitucional e parlamentar;
1.20 - CRIAÇÃO DA DUMA ( PARLAMENTO) – 1906:  o Czar Nicolau II  instaura uma DUMA para dirigir  uma nova Constituição para o país. Controlada por deputados predominantemente ligados às elites nacionais, ficando, na verdade, sob o controle do Czar, aumentando seus próprios poderes por meio de decretos. Devido às críticas no ano seguinte a Duma  é dissolvida.
1.21 - FORMAÇÃO DOS SOVIETES:  as manifestações populares do campo e da cidade estimularam a formação dos Sovietes( Conselho de trabalhadores em várias regiões da Rússia),  ativando desta forma,  a participação popular
1.22 - MOVIMENTO DE ABERTURA DO REGIME CZARISTA:  mostrava-se  oscilante e pendular, quando em 1911 a reação  absolutista se impôs novamente.
1.23 - MONARQUIA AUTOCRÁTICA CZARISTA:  convivia com a Constituição, com a Duma  e com os Sovietes, todos agora, sem poderes efetivos. Nota: monarquia autocrática(                          )    
1.24 - OPOSITORES DO CZARISMO:  várias agremiações político ideológica:
1- Narodnikas( Populistas);
2- Anarquistas( partidário das idéias de Bakunin);
3- Social democratas ( defensores dos princípios marxistas).
1.25 - MENCHEVIQUES ( MINORIA) e BOLCHEVIQUES(MAIORIA):  os sociais democratas dividiram-se em , a partir de 1903 nas  duas facções citadas.
1.25.1 - MENCHEVIQUE > , a minoria no Congresso  da Social Democracia dos Trabalhadores russos, caracterizados como marxistas ortodoxos(                          ), que pregavam  o desenvolvimento e o amadurecimento  do Capitalismo  para só depois almejar o socialismo. Era liderado por  Gheorghi Plekhaanov     e Julii Martov;
1.25.2 - BOLCHEVIQUES >  eram a maioria no mesmo congresso e defendiam   a Revolução socialista , a instalação  da ditadura do proletariado, coma aliança de operários e camponeses, tendo como líder Vladimir Hitch Lênin.
1.26 - SEPARAÇÃO DEFINITIVA DOS SOCIAL- DEMOCRATAS( 1914):  apesar disso  tanto os Mencheviques quando  os Bolcheviques  continuavam  a catalisar (             )  o crescente  e generalizado descontentamento da população russa em ralação  ao Czarismo.  
II_ O COLAPSO DO CZARISMO
2. 1 – PARTICIPAÇÃO DA RUSSIA NA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL:  ao lado da Tríplice Aliança juntamente  com a Inglaterra, França, a Rússia  lutou contra a Alemanha, a Áustria – Hungria, objetivando  conquistar territórios( mercados consumidores  e fornecedores  de matérias primas);
2.2 – O AUGE DO COLÁPSO ( 1916):  quando o poderio  alemão já havia  conquistado boa parte  do território russo . o país estava militarmente aniquilado  e economicamente desorganizado, e sua população estava privada do acesso aos bens básicos;
2.3 –  QUEDA DO CZAR: ( 1917):  em fevereiro deste ano os trabalhadores fizeram várias  greves e manifestações , contando com o apoio de motins de soldados e marinheiros, gerando, desta forma a queda do Czar Nicolau II.
III – A REVOLUÇÃO MENCHEVIQUE:
3.1 – REPÚBLICA DA DUMA ( PARLAMENTO ( 1917):   em março deste ano foi instalada a referida  república , sob a chefia  de um nobre politicamente moderado, o príncipe  Lvov, que era influenciado  por  Alexandre Kerensky, líder menchevique , membro do Soviete de Petrogrado, centro de poder  criado logo a pós a queda do Czar.
3.2 – RENÚCIA DE LVOV(1917): sómente em julho deste ano foi que  Kerensky veio  a assumir  efetivamente o poder da Duma , com a Renúncia  Lvov;
3.3 – KERESNKY MANTEVE A RÚSSIA NA PRIMEIRA GUERRA:  comprometido com a idéia de desenvolver o capitalismo russo para só depois lutar pelo socialismo, conforme pregavam os mencheviques, ele manteve  a Rússia  na Guerra, atendendo aos compromissos  com a Burguesia que o apoiava;
3.4 – OS BOLCHEVIQUES: diferentemente dos mencheviques, defendiam que a revolução proletária estava prestes a ocorrer, o que levaria a paz no plano internacional e as mudanças no plano  interno;
3.5 – TESES DE ABRIL: “todo o poder aos Sovietes” Sob a liderança de Vlademir Lênin  e Leon Trotsky, os bolcheviques ganharam popularidade  com “as teses de abril”, que sintetizavam  na plataforma de “Paz, Terra e Pão”, propondo a saída  da Rússia da  Grande Guerra, a divisão das grandes propriedades entre os camponeses e a regulamentação do abastecimento interno, sob o lema “ Todo poder aos Sovietes”.
3.6 – GUARDA VERMELHA:   era uma milícia revolucionária  recrutada por Trotsky em Petrogrado entre trabalhadores bolcheviques dos Sovietes;
IV – A REVOLUÇÃO BOLCHEVIQUE E O GOVERNO DE VLADEMIR  LÊNIM ( 1917 – 1924)
4.1 – DESTRUIÇÃO DO GOVERNO REPUBLICANO MENCHEVIQUE: ( 1917, 25 DE OUTUBRO):  os bolcheviques  tomaram de assalto os Departamentos  públicos e o Palácio de Inverno, em Petrogrado, destituindo o governo o  Republicano, criando em seu lugar o Conselho  de Comissários  do Povo, dando por iniciado  o novo governo russo;
4.2 – PRIMEIRO DOCUMENTO OFICIAL DA REVOLUÇÃO:   um apelo aos  trabalhadores, soldados  e camponeses, redigido por Lênin, transferindo  todo o poder para os Sovietes, através  do Conselho de Comissários do Povo, tendo Lênim como Presidente e Trótsky, nos negócios  estrangeiros E Josef Stálin, chefiando os negócios internos.
4;3 – INÍCIO DO GOVERNO  DE VLADIMIR LÊNIN:  de início  o novo governo nacionalizou as indústrias  e os bancos estrangeiros, redistribuindo  as terras no campo, firmando  um armistício( Trégua) com a Alemanha, saindo da  Grande Guerra, abrindo mão  de alguns territórios( Finlândia, Ucrânia e Polônia);
4.2 – RUSSOS BRANCOS:  mudanças  nas  estruturas de poder  ativaram a oposição dos mencheviques  e czaristas que passaram a ser chamados de Russos brancos, contrapondo os Bolcheviques  conhecidos por Russos Vermelhos (oriundos da Guarda Vermelha);
4.3 – GUERRA CIVIL: com o apoio das potências  aliadas, que  receavam a propagação da Revolução de caráter popular  pelo mundo  as duas facções ( Bolcheviques  e Mencheviques) mergulharam o país numa sangrenta  guerra civil;
4.4 – COMUNISMO DE GUERRA:  política econômica adotada pelo governo de Lênin, caracterizada  pela centralização da produção e pela eliminação da economia de mercado típica do capitalismo, com o objetivo  de conseguir recursos para enfrentar  o cerco Internacional e a Guerra contra  os Russos Brancos e seus aliados europeus.
4.5 – CRISES DE ABASTECIMENTO( 1921): apesar da vitória dos Bolcheviques, surgiram várias crises de abastecimento , além  de revoltas camponesas provocadas pelo confisco da produção agrícola pelo Estado;
4.6 – NOVA POLÍTICA ECONÔMICA (NEP): Implantada com o objetivo de evitar o colapso da economia, após a Guerra Civil, e tratava de um planejamento do Estado sobre a economia, combinando princípios socialistas com elementos do capitalismo, estimulando  a pequena manufatura privada, o pequeno comércio e a venda de livres produtos pelos camponeses, motivando a produção e garantindo o abastecimento;
4.7 – IMPORTÂNCIA DA NEP:  que durou até  1928, levou à recuperação parcial da economia soviética e à reativação de setores fundamentais, fazendo crescer a produção industrial e agrícola e o comércio.
4.8 – “DAR UM PASSO ATRÁS PARA DAR DOIS PASSOS À FRENTE”:  assim justificava Lênin  que comandou a Revolução Bolchevique, sendo o 1º Presidente  da Rússia Socialista, utilizando os ingredientes capitalistas. Para Lênin  a inserção de componentes capitalistas na economia russa sob a alegação de que eram  necessários para fortalecê-la, e desse modo, possibilitar a implementação  do regime socialista.
4.9 –  CENTRALISMO  GOVERNAMENTAL= Consolidado através do Partido Comunista russo, partido único, criado em 1918 pelos bolcheviques, quando foi elaborada uma constituição  que criava a República Soviética Socialista Russa;
4.10 – UNIÃO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS SOVIÉTICAS (URSS):  criada em  1923, mais conhecida por “UNIÃO SOVIÉTICA”  decorrente de um acordo  de união das diferentes  regiões do Antigo Império Russo, convertidas  em Repúblicas  Federativas e socialistas;
4.11 – PARTIDO COMUNISTA DA UNIÃO SOVIÉTICA( PCUS): coma mudança do nome  o ex partido  bolchevique transformou-se  em Partido Comunista  da União Soviética;
4,12 – MORTE DE LÊNIN( 1924): o poder soviético fois disputado por Trótsky, chefe  do Exército  e  Joséf Stálin secretário geral do PC – Partido Comunista;
4.13 – TRÓTSKY X STÁLIN:
TROTSKY >  defendia que a revolução permanente para difundir o socialismo pelo mundo;
STÁLIN >  pregava  a consolidação interna da revolução, a estruturação  de um Estado
Revolucionário forte  e a implantação do socialismo num só país  para depois  tentar expandir a revolução pela Europa;  Stálin saiu vitorioso, e nos anos seguintes marginalizou Trótsky e seus seguidores até  eliminá-los.
V – O GOVERNO DE JOSEF STÁLIN ( 1924 – 1953):
5.1 – PLANOS QUINQUENAIS:  a partir de 1928 a economia  soviética  sob o comando de Stálin viveu  a socialização total. , com a abolição  da NEP(Nova Política Econômica) e a instalação dos Planos Qüinqüenais, que tinham por objetivo modernizar a industrializar  a União Soviética, sendo
O primeiro deles de  1928  1933 voltado  para o aumento da produção de maneira global;
O segundo,  na  década de 30, quando já  se sentia os efeitos positivos do primeiro, tendo  Industria de  base crescido aproximadamente  sete vezes em relação a 1928, e a Industria de bens  de consumo, 4 vezes;
O terceiro,  iniciado em 1938 objetivava a desenvolver  a industria,  especializada, especialmente, a QUÍMICA, mas não pôde  ser  colocado em prática devido a eclosão da 2ª Guerra mundial;
5.2 – NO PLANO POLÍTICO : Stálin consolidou seu poder assumindo integralmente o controle do Partido  Comunista( PC),  supervisionando  todos os Sovietes;
5.3 – POLÍCIA POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA:  organização chamada inicialmente  de Cheka, e depois, em  1922, transformada  em GPU, a Administração  Política do Estado , sob a chefia de Stálin.
5.4 – EXÍLIO DE TRÓTSKY:  com todo o poder  do Estado  em suas mãos, Stálin livra-se  da oposição de Trótsky, mandando  para o exílio em 1929;
5.5 – EXPURGOS DE MOSCOU:  em 1936 e 1938 Stálin, reafirmando sua autoridade expurga sob a forma de julgamentos, condenação e todos os seus opositores, com condenações, expulsões  do Partido e punições, processos;
5.6 – ASSASSINATO DE TRÓTSKY:  EM 1940; mesmo fora  da união  soviética Trótsky continuou a fazer oposição ao governo de Stálin, criticando a forma de como  governar deste, e por isso  foi assassinado  por um agente da polícia Política Soviética, no México, em 1940;
5.7 – CONGRESSO DA INTERNACIONAL COMUNISTA ( KOMINTERN): ocorrido  em 1935, em Moscou, contando com a participação  de 65 partidos comunistas internacionais, representando mais de  3 milhões  de  comunistas do mundo inteiro, apoiando abertamente  a política adotada  por Stálin;
 5.8 – PARTICIPAÇÃO NA LIGA DAS NAÇÕES):  deste 1934 a União Soviética já participava da Liga das Nações, como prova  de reconhecimento diplomático por parte de vários países capitalistas outrora  aliados  do exército  russo branco( dos mencheviques).
5.9 – PACTO ANTI KOMINTERN( 1936): assinado entre  o Japão, a Itália e a Alemanha, tornava – se  um desafio  não só a existência de um país sob  o regime comunista, mas também ao movimento  operário internacional.
Por: Antonio Correia Lima – Prof. de História




terça-feira, 29 de maio de 2012

Escola Joaquim Valdevino: comemoração às mães de alunos







Realizou-se na  manhã deste sábado (26.05), no Serravento Club ,as comemorações das mães dos alunos da E.E.M Joaquim Valdevino de Brito, em clima de  muita alegria e descontração.
O evento foi recheado de muitas atrações: música, festival de poesias,  apresentação do coral da escola,  teatro apresentado pelos alunos ,  contação  de piadas, desfiles improvisados com as mães, como também,  concurso de dança.
Na oportunidade, foi servido um lanche para as mães presentes, tendo as mesmas recebido uma pequena lembrança do evento, enquanto algumas delas que disputaram os  concursos de dança e desfile  receberam brindes.
Foi, sem dúvida, uma excelente  festa que deve ter agradado a todas as mães presentes.

domingo, 20 de maio de 2012

Segurança em Ponta da Serra é restabelecida



O Posto Policial de Ponta  da  Serra, que foi instalado  em nossa Sede nos primeiros anos da década de 1990 deixou  de ter assistência  com presença de policiamento, há dois anos , e só agora , nesta sexta feira,  18 de maio, voltou a contar com três  policiais em  duas  motos, que estão se revezando, cobrindo a área do distrito de Ponta da  Serra, e partes dos distritos vizinhos.
Esta foi uma conquista  advinda do  empenho da Marineth Besisário, da comunidade organizada e do deputado Estadual Sineval Roque  que intermediou, junto a Secretaria de Segurança Público do Estado   a vinda deste serviço tão necessário à tranqüilidade da  nossa população.
Vale salientar que o poder Público Municipal  vem mantendo a estrutura do Posto  Policial, e agora, o Estado está fazendo sua parte, através da Secretaria de Segurança Pública.
Na foto, destacamos  os soldados Henrique, Israel  e Lima ( não necessariamente na ordem), que  estão fazendo o destacamento  durante o dia deste domingo( 20.05).
A comunidade de Ponta da  Serra  se sente, agora, agradecida e  segura, desejando boas vindas aos  os policiais.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

AS DEZ MAIORES OBRAS DE ARTE



A pedido do “Illustrated London News”, em 1985, um juri formado pelos maiores conhecedores de arte do mundo escolheu as dez maiores obras de arte já realizadas pelo homem. São elas:

“As Meninas ou A Família de Filipe IV” (1656), Diego Velázques
Museu do Prado, em Madri – Reino da Espanha
Por unanimidade em primeiro lugar!
Abaixo, a obra “Las Meninas” em pôster de 24 × 36 polegadas.
Tive a oportunidade de contemplar em 07/2003.

“Vista de Delft”, de Vermeer
Maurithshuis, em Haia – Holanda

“A Tempestade” (c. 1505), óleo s/ tela, 82 × 73 cm, de Giorgione
Galeria da AcademiaVeneza – Itália (no acervo desde 1932)
Tive a oportunidade de contemplar em 16/08/2007.
O belíssimo quadro “A Tempestade”, também chamado de “A Tormenta”, é uma das peças fundamentais da pintura veneziana, ela marca o início do Século XVI na arte. Especialistas dizem que Giorgione de Castelfranco foi deslumbrante por ter conseguido criar atmosferas insinuantes, sugerindo até uma certa qualidade musical... A natureza parece indefesa, tal qual a figura da mãe abandonada no quadro e as colunas truncadas, que aparecem como joguetes da terrível luta dos elementos.

“A Primavera” (1476/1477), de Botticelli
Têmpera sobre tábua, 203 × 314 cm, Galeria defli UffiziFlorença – Itália
Tive a oportunidade de contemplar esta obra em 02/08/2007 (quinta-feira), pois cheguei propositalmente em Florença (Firenze) um dia anterior, assim poderia passar o dia do meu aniversário na capital da bela Toscana...

“A Ressureição”, de Pierro della Francesca
Mural em afresco e têmpera, 225 × 200 cm. Museu Civico, Sansepolcro – Itália

“O Enterro do Conde Orgaz” (1586), de El Greco
San Tomé, em Toledo – Reino da Espanha

“A Lamentação” (1305), de Di Giotto
Cappella dei Scrovegni, em Pádua – Itália

“O Altar de Isenheim” (1512-1516), de Grünewald
“Crucificação”, retábulo central do Altar de Isenheim, pintado por Grünewald
A primeira vista do altar vemos: São Sebastião (esquerda), A Crucificação (central), Santo Antônio (direita), Entombment (bottom). Óleo sobre painel. Museu d’Unterlinden, Colmar – França?
Mathis Gothart Niethart (1470c.-1528), conhecido como Matthias Grünewald foi, junto com Dürer, um dos pintores mais importantes da Alemanha durante o século XV e início do XVI. Seus dados biográficos são pouco claros e não se tem certeza do ano de seu nascimento. Curiosamente o nome Grünewald foi-lhe dado postumamente, decorrente do engano de um biógrafo do século XVII...
Nascido em Würzburg, próximo à Frankfurt, precursor do expressionismo e um dos maiores pintores germânicos do Renascimento. Começou a aparecer como profissional da pintura sacra quando vivia em Aschaffenburg, em Seligenstadt am Main e seu primeiro trabalho de data conhecida é o “Escárnio de Cristo” (1503).
Assumiu o cargo de pintor oficial do arcebispo de Mainz (1509), que morava em Aschaffenburg. Mudou-se (1515) para Isenheim, na Alsácia, para realizar o retábulo da igreja dos antoninos, obra máxima de seu estilo dramático, de intenso colorido.
Notavelmente influenciada pelos princípios da Reforma, seus personagens têm em si algo de caricaturesco, provavelmente uma referência à decadência do ser humano numa época em que inclusive a Igreja observava seu próprio declínio...
Morreu em Halle, e de sua obra, revalorizada no século XX pelos expressionistas, hoje, conservam-se apenas dez pinturas e alguns desenhos. Lamentavelmente, várias de suas obras foram dadas por perdidas, apesar de existir documentação provando sua existência.
“O Altar de Isenheim” foi realizado para o altar-mor da igreja do Mosteiro de Santo Antônio, em Isenheim. Toda a dramaticidade de um dos momentos chave da história cristã está plasmada na figura de um Cristo desmaiado de dor, na cena central da Crucificação, enquanto a mais terrível escuridão se abate sobre o gênero humano, refletindo a profunda devoção mística do movimento conhecido como Devoção Moderna...


“Guernica” (1937), de Pablo Picasso
Museu Rainha Sofia, em Madri – Reino da Espanha
O bloco abaixo foi emitido pelo Reino da Espanha em 1981, para Comemorar o Centenário de Nascimento de Pablo Picasso e mostra a obra “Guernica” (Scott: 2252, Yvert Bloco 29 e 29a); a qual tive a oportunidade de contemplar em 04/1998.

“O Retorno do Filho Pródigo” (1669), de Rembrandt
Museu Ermitage, em São Petersburgo (ex-Leningrado) – Federação Russa
Tive a oportunidade de contemplar em 08/2004.

Entrada principal !
Última atualização: 02/12/2011.
EXTRAIDO DE  www.giramania.com.br

Renascimento Científico



Na área científica podemos mencionar a importância dos estudos de astronomia do polonês Nicolau Copérnico. Este defendeu a revolucionária idéia do heliocentrismo (teoria que defendia que o Sol estava no centro do sistema solar). Copérnico também estudou os movimentos das estrelas.
Galileu Galilei Galileu Galilei: um dos principais representantes do Renascimento Científico
Nesta mesma área, o italiano Galileu Galilei desenvolveu instrumentos ópticos, além de construir telescópios para aprimorar o estudo celeste. Este cientista também defendeu a idéia de que a Terra girava em torno do Sol. Este motivo fez com que Galilei fosse perseguido, preso e condenado pela Inquisição da Igreja Católica, que considerava esta idéia como sendo uma heresia. Galileu teve que desmentir suas idéias para fugir da fogueira.
A invenção da prensa móvel, feita pelo inventor alemão Gutenberg em 1439, revolucionou o sistema de produção de livros no século XV. Com este sistema, que substituiu o método manuscrito, os livros passaram a ser feitos de forma mais rápida e barata. A invenção foi de extrema importância para o aumento da circulação de conhecimentos e ideias no Renascimento




Extraido de Superpesquisa

quarta-feira, 2 de maio de 2012

10 Mentes mais influentes no renascimento cultural



Renascimento cultural foi um movimento artístico-intelectual que, a partir do séc. XV, recusou o pensamento religioso medieval, colocando o ser humano no centro de todos os interesses. Assim, não é de estranhar quegrandes pensadores, artistas e escritores tenham surgido neste momento de tantas transformações na Europa. Esta lista é sobre eles.
1. Michel de Montaigne
Michel Eyquem de Montaigne (1533-1592) foi um escritor e ensaista francês, considerado por muitos como o inventor do ensaio pessoal. Nas suas obras, analisou as instituições, as opiniões e os costumes, debruçando-se sobre os dogmas da sua época e tomando a generalidade da humanidade como objeto de estudo. É considerado um cético e humanista. Se interessava por autores antigos, especialmente os latinos mas também gregos, pois encontrava máximas e reflexões que o ajudavam na sua vida diária e na sua auto-descoberta.
Obras: Ensaios


2. André Vesálio

Andries van Wesel (1514-1564) foi um médico belga, considerado o “pai da anatomia moderna”. Foi o autor do primeiro atlas de anatomia, publicado em 1543. Muito pouco havia sido descoberto sobre anatomia e fisiologia desde a Antigüidade, cujas descobertas foram baseadas na dissecação de animais. A falta de aulas práticas de anatomia na Universidade de Paris acabou levando Vesalius, assim como Michelangelo, a freqüentar cemitérios em busca de ossadas de criminosos executados e vítimas de praga.
Obras: De Humani Corporis Fabrica, Tabulae Sex



3. Sandro Botticelli

Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi (1444-1510) foi um célebre pintor italiano da Escola Florentina. Em suas obras, seguiu os preceitos da perspectiva central e estudou as esculturas da Antiguidade, evoluindo posteriormente para a acentuação das formas decorativas e da atenção dispensada à harmonia linear do traçado e ao vigor e pureza do colorido. Em Florença, era protegido da família Médici, para os quais executou registros da pintura de cunho mitológico. Trabalhou também em Roma Vaticano, produzindo afrescos para a Capela Sistina.
Obras: O Nascimento de Vênus, A Primavera, A Adoração dos Magos, O Castigo dos Rebeldes






4. Miguel de Cervantes

Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616) foi romancista, dramaturgo e poeta espanhol. Seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura mundial. Com Don Quixote de la Mancha, uma sátira aos romances de cavalaria, tornou-se o precursor do realismo na Espanha. Em sua vida, tudo conspirou contra sua carreira de escritor. Lutou na batalha naval de Lepanto, contra o império turco, onde teria perdido o movimento das mãos. Ingressou na literatura publicando alguns poemas, mas inicialmente não obteve êxito em sua incursão como escritor. Obteve a consagração como escritor apenas aos 58 anos.
Obras: Dom Quixote, Galatea






5. William Shakespeare

William Shakespeare (1564-1616) foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. De suas obras restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas do globo, e são encenadas mais do que qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas, especialmente os do teatro, permaneceram vivos até aos nossos dias, sendo revisitados com freqüência pelo teatro, televisão, cinema e literatura.
Obras: Hamlet, Romeu e Julieta, Sonho de uma Noite de Verão, A Megera Domada


6. Erasmo de Rotterdã

Desiderius Erasmus Roterodamus (1466-1536) foi um teólogo e um humanista neerlandês (atual Holanda). Em seu tempo, foi um dos maiores críticos do dogma católico romano e da imoralidade do clero. Mas não deixou de atacar também o movimento protestante de Lutero. Durante a sua vida, as autoridades da Igreja católica nunca o chamaram a justificar as suas opiniões. Após a sua morte, porém, a Igreja católica romana colocou seus escritos no Index librorum prohibitorum, uma lista de livros proibidos pela Igreja.
Obras: Elogio da Loucura


7. Michelangelo Buonarroti



Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475-1564) foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente. Ainda em vida, foi considerado o maior artista de seu tempo. Chamavam-no de “Divino”, e ao longo dos séculos, até os dias de hoje, vem sendo tido como um dos maiores artistas que já existiu e como o protótipo do gênio.

Obras: Davi, Moisés, Teto da Capela Sistina, La Pietá



8. Leonardo da Vinci

Leonardo di ser Piero da Vinci (1452-1519) foi um polímata italiano, que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. É ainda conhecido como o precursor da aviação e da balística. Leonardo foi descrito como o arquétipo do homem do Renascimento, alguém cuja curiosidade insaciável era igualada apenas pela sua capacidade de invenção. É considerado um dos maiores pintores de todos os tempos e, possivelmente, como a pessoa dotada de talentos mais diversos a ter vivido.
Obras: Mona Lisa, A Última Ceia, A Virgem das Rochas, O Homem Vitruviano




9. Nicolau Maquiavel

Nicolau Maquiavel (1469-1527) foi um historiador, poeta, diplomata e músico italiano. É reconhecido como fundador do pensamento e da ciência política moderna. Se tornou famoso por defender a visão de que um governante, se necessário, deveria ser cruel para obter e manter o poder. Seus críticos o denunciam como um homem que foi desprovido de moralidade, porém, seus admiradores afirmam que ele foi um dos únicos pensadores que verdadeiramente entendiam o mundo político e que teve a coragem de descrevê-lo como ele realmente é. Ajudou a fundamentar o poder do rei, no contexto do Absolutismo Monárquico.
Obras: O Príncipe, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio


10. Galileu Galilei

Galileu Galilei (1564-1642) foi um físico, matemático, astrônomo e filósofo italiano que teve um papel preponderante na chamada revolução científica. Galileu melhorou significativamente o telescópio refrator e com ele descobriu as manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter, os anéis de Saturno, as estrelas da Via Láctea. Estas descobertas contribuíram decisivamente na defesa do heliocentrismo, ou seja, a ideia de que o sol está no centro do universo.
Obras: Sobre o movimento, Cartas sobre manchas solares




Fonte: Site  do História Digital

segunda-feira, 30 de abril de 2012

INTRODUÇÃO DE SÃO JOSÉ EM PONTA DA SERRA – Por Antonio Correia Lima


1895 - Os festejos a São José teve início, quando da   construção da “Casa de Oração”em  1895 – 12 DE  DEZEMBRO ,quando foi celebrada a primeira missa , dando por iniciado o Núcleo Primitivo  da Povoação de Ponta da  Serra, celebrada pelo então padre Antonio Alexandrino de Alencar .
Vale salientar que a referida  casa de oração foi construída  pelo vaqueiro José Bernardo Vieira e sua mulher Maria Felícia. Por este fato, o José  ficou para a história como o fundador de Ponta da  Serra , e é por isso  que o nosso hino diz ”Patrimônio de dois José: Um santo , outro vaqueiro “

1930/32 - A atual capela, que hoje é sede da Paróquia de São José  foi  construída  entre 1930/32 – em regime de mutirão com trabalhos voluntários, tendo neste época como vigário em Crato, e celebrante em Ponta da  Serra  Mons.Francisco de Assis Feitosa. Destaque para Moisés Xenofonte de Oliveira.
1940 – chegada da imagem grande de São José, com grande festa  nos dias 22, 23, 24 de novembro de 1940, ficando , por alguns anos, os festejos ao Padroeiro,  neste período, depois  votando  para o meus de março, como antes, e com a criação da Paróquia, para  o final de abril com encerramento no dia 1º de maio, Dia  do Trabalhador
1967 - PARÓQUIA:  criada  em 08 de setembro de  1967, tendo como primeiro vigário, o recém  ordenado  em Roma, Padre Francisco  Salatiel  Alencar Barbosa.Nessa época, a Diocese acha por bem mudar a data dos festejos para o final de abril, com final no dia 1º de maio, denomina de Paróquia de São José Operário de Ponta da  Serra, permanecendo a mesma imagem, que não se caracteriza  como a de São José Operário, com suas  ferramentas.
DÉCADAS 30/40: auge das grandes festas do padroeiro com as disputas dos partidos e das rainhas.

IMAGENS PRIMTIVAS:  a primeira imagem  de São José de aproximadamente 40 cm, de altura, em gesso, encontra-se em poder de uma das netas do José Bernardo, Socorro de Têta, em Crato. A referida imagem esteve como imagem principal até 1940, quando da chegada da imagem grande ( 2ª), quando passar a figurar como imagem auxiliar até a década de 1960, quando da chegada da imagem média, e neste momento, a imagem primitiva é entre aos herdeiros do José Bernardo

sábado, 28 de abril de 2012

10 Mentes mais influentes do Renascimento Cultural



ATIVIDADE DE HISTÓRIA PARA O 2º ANO C: RENASCIMENTO

O Renascimento cultural foi um movimento artístico-intelectual que, a partir do séc. XV recusou o pensamento religioso medieval, colocando o ser humano no centro de todos os interesses. Assim, não é de estranhar que grandes pensadores, artistas e escritores tenham surgido neste momento de tantas transformações na Europa. 
Em base nesta lista das 10 grandes  mentes  do Renascimento, anote no seu caderno  os seguintes dados:
01 – Nome e época em que viveu;
02 – Área de atuação ( escultor, pintor.....)
03 – Características  e principais obras; 

10 curiosidades sobre o Dia do Trabalho



No dia 1º de maio, comemora-se o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador, como forma de celebrar as conquistas dos trabalhadores ao longo da história. Nessa mesma data, em 1886, ocorreu uma grande manifestação de trabalhadores na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. Esta lista vai mostrar algumas curiosidades relacionadas ao Dia do Trabalho. E viva o trabalho 

- Em Chicago, milhares de trabalhadores protestavam contra a enorme carga horária pela qual eram submetidos, ou seja, 13 horas diárias. A proposta era reduzir para 8 horas diárias, como é hoje (geralmente…).
- Além da diminuição da carga horária, os trabalhadores também exigiam descanso semanal remunerado e um período anual de férias, direitos trabalhistas que ainda não existiam na época.
- A escolha da data de 1° de maio ocorreu para homenagear os trabalhadores mortos pela repressão policial nos Estados Unidos. No entanto, as mortes só passaram a ocorrer a partir do dia 03 de maio.
- Apesar da escolha da data ter sido feita por membros da Segunda Internacional Socialista, os oito organizadores das manifestações eram militantes anarquistas, não socialistas.
- Os organizadores das manifestações foram denominados Mártires de Chicago. No monumento erguido a eles, estava o seguinte epíteto: “Um dia nosso silêncio será mais forte que as vozes que hoje vocês estrangulam”.
- Em 23 de Abril de 1919, o senado francês proclamou feriado nacional no dia 1° de Maio. Em 1920, foi a vez da União Soviética. Aqui no Brasil, o primeiro de maio é comemorado desde o ano de 1925.
- Os Estados Unidos não comemoram o Dia do Trabalho no dia 1° de maio, e sim na primeira segunda-feira de setembro. Na Austrália comemora-se a data em duas ocasiões: na parte ocidental, em 04 de março e, na parte meridional, em 07 de outubro.
- Em 1940, o presidente Getúlio Vargas utilizou o 1° de maio para anunciar o novo salário mínimo. Em 1941, a data foi usada para marcar a criação da Justiça do Trabalho, que visava resolver os conflitos existentes entre os trabalhadores e seus patrões.
- Como Vargas utilizava a data para apresentar boas notícias aos trabalhadores, a data perdeu seu sentido original. Até então marcado por piquetes e protestos, o Dia do Trabalhador passou a ser comemorado com festas populares, desfiles e celebrações similares.
- Mesmo sendo um feriado nacional no Brasil, a Bahia ficou 55 anos sem comemorar a data porque os governantes acreditavam que era uma contradição não trabalhar no dia do Trabalho .  Fonte : História Digital
NOTA: Em Crato – CE, há 22 anos é realizada um grande caminhada, saindo, ao alvorecer do dia, da Igreja de São Francisco com destino aos Franciscanos em Juazeiro do Norte.  A idéia do evento foi do Padre Raimundo Elias, quando era vigário da referida capela.

LISTA DE LINKS DO BLOG DO PROF. TOINHO




01 – CONHECIMENTOS: HISTÓRIA > http://conhecimentoshistoria.blogspot.com.br
02 – CONHECIMENTOS: EDIUCAÇÃO BRASILEIRA > http://conhecimentoseducacaobrasileira.blogspot.com.br

03 – CONHECIMENTOS: HISTÓRIA REGIONAL >http://conhecimentoshistoriaregional.blogspot.com.br
04 – HISTÓRIA DA PONTA  DA SERRA > http://historicodapontadaserra.blogspot.com.br

05 –E.E.M. JOAQUIM VALDEVINO DE BRITO http://jvaldevinobrito.blogspot.com.br

sexta-feira, 27 de abril de 2012

ABERTURA

O blog ora criado tem por objetivo manter uma relação eficiente l entre o professor Antonio Correia Lima, mais conhecido por Toinho, e seus alunos da E;E.M. JoaquimVadevino de Brito, de Ponta da Serra.
Pretende-se tornar este espaço um prolongamento da sala de aula