terça-feira, 29 de maio de 2012

Escola Joaquim Valdevino: comemoração às mães de alunos







Realizou-se na  manhã deste sábado (26.05), no Serravento Club ,as comemorações das mães dos alunos da E.E.M Joaquim Valdevino de Brito, em clima de  muita alegria e descontração.
O evento foi recheado de muitas atrações: música, festival de poesias,  apresentação do coral da escola,  teatro apresentado pelos alunos ,  contação  de piadas, desfiles improvisados com as mães, como também,  concurso de dança.
Na oportunidade, foi servido um lanche para as mães presentes, tendo as mesmas recebido uma pequena lembrança do evento, enquanto algumas delas que disputaram os  concursos de dança e desfile  receberam brindes.
Foi, sem dúvida, uma excelente  festa que deve ter agradado a todas as mães presentes.

domingo, 20 de maio de 2012

Segurança em Ponta da Serra é restabelecida



O Posto Policial de Ponta  da  Serra, que foi instalado  em nossa Sede nos primeiros anos da década de 1990 deixou  de ter assistência  com presença de policiamento, há dois anos , e só agora , nesta sexta feira,  18 de maio, voltou a contar com três  policiais em  duas  motos, que estão se revezando, cobrindo a área do distrito de Ponta da  Serra, e partes dos distritos vizinhos.
Esta foi uma conquista  advinda do  empenho da Marineth Besisário, da comunidade organizada e do deputado Estadual Sineval Roque  que intermediou, junto a Secretaria de Segurança Público do Estado   a vinda deste serviço tão necessário à tranqüilidade da  nossa população.
Vale salientar que o poder Público Municipal  vem mantendo a estrutura do Posto  Policial, e agora, o Estado está fazendo sua parte, através da Secretaria de Segurança Pública.
Na foto, destacamos  os soldados Henrique, Israel  e Lima ( não necessariamente na ordem), que  estão fazendo o destacamento  durante o dia deste domingo( 20.05).
A comunidade de Ponta da  Serra  se sente, agora, agradecida e  segura, desejando boas vindas aos  os policiais.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

AS DEZ MAIORES OBRAS DE ARTE



A pedido do “Illustrated London News”, em 1985, um juri formado pelos maiores conhecedores de arte do mundo escolheu as dez maiores obras de arte já realizadas pelo homem. São elas:

“As Meninas ou A Família de Filipe IV” (1656), Diego Velázques
Museu do Prado, em Madri – Reino da Espanha
Por unanimidade em primeiro lugar!
Abaixo, a obra “Las Meninas” em pôster de 24 × 36 polegadas.
Tive a oportunidade de contemplar em 07/2003.

“Vista de Delft”, de Vermeer
Maurithshuis, em Haia – Holanda

“A Tempestade” (c. 1505), óleo s/ tela, 82 × 73 cm, de Giorgione
Galeria da AcademiaVeneza – Itália (no acervo desde 1932)
Tive a oportunidade de contemplar em 16/08/2007.
O belíssimo quadro “A Tempestade”, também chamado de “A Tormenta”, é uma das peças fundamentais da pintura veneziana, ela marca o início do Século XVI na arte. Especialistas dizem que Giorgione de Castelfranco foi deslumbrante por ter conseguido criar atmosferas insinuantes, sugerindo até uma certa qualidade musical... A natureza parece indefesa, tal qual a figura da mãe abandonada no quadro e as colunas truncadas, que aparecem como joguetes da terrível luta dos elementos.

“A Primavera” (1476/1477), de Botticelli
Têmpera sobre tábua, 203 × 314 cm, Galeria defli UffiziFlorença – Itália
Tive a oportunidade de contemplar esta obra em 02/08/2007 (quinta-feira), pois cheguei propositalmente em Florença (Firenze) um dia anterior, assim poderia passar o dia do meu aniversário na capital da bela Toscana...

“A Ressureição”, de Pierro della Francesca
Mural em afresco e têmpera, 225 × 200 cm. Museu Civico, Sansepolcro – Itália

“O Enterro do Conde Orgaz” (1586), de El Greco
San Tomé, em Toledo – Reino da Espanha

“A Lamentação” (1305), de Di Giotto
Cappella dei Scrovegni, em Pádua – Itália

“O Altar de Isenheim” (1512-1516), de Grünewald
“Crucificação”, retábulo central do Altar de Isenheim, pintado por Grünewald
A primeira vista do altar vemos: São Sebastião (esquerda), A Crucificação (central), Santo Antônio (direita), Entombment (bottom). Óleo sobre painel. Museu d’Unterlinden, Colmar – França?
Mathis Gothart Niethart (1470c.-1528), conhecido como Matthias Grünewald foi, junto com Dürer, um dos pintores mais importantes da Alemanha durante o século XV e início do XVI. Seus dados biográficos são pouco claros e não se tem certeza do ano de seu nascimento. Curiosamente o nome Grünewald foi-lhe dado postumamente, decorrente do engano de um biógrafo do século XVII...
Nascido em Würzburg, próximo à Frankfurt, precursor do expressionismo e um dos maiores pintores germânicos do Renascimento. Começou a aparecer como profissional da pintura sacra quando vivia em Aschaffenburg, em Seligenstadt am Main e seu primeiro trabalho de data conhecida é o “Escárnio de Cristo” (1503).
Assumiu o cargo de pintor oficial do arcebispo de Mainz (1509), que morava em Aschaffenburg. Mudou-se (1515) para Isenheim, na Alsácia, para realizar o retábulo da igreja dos antoninos, obra máxima de seu estilo dramático, de intenso colorido.
Notavelmente influenciada pelos princípios da Reforma, seus personagens têm em si algo de caricaturesco, provavelmente uma referência à decadência do ser humano numa época em que inclusive a Igreja observava seu próprio declínio...
Morreu em Halle, e de sua obra, revalorizada no século XX pelos expressionistas, hoje, conservam-se apenas dez pinturas e alguns desenhos. Lamentavelmente, várias de suas obras foram dadas por perdidas, apesar de existir documentação provando sua existência.
“O Altar de Isenheim” foi realizado para o altar-mor da igreja do Mosteiro de Santo Antônio, em Isenheim. Toda a dramaticidade de um dos momentos chave da história cristã está plasmada na figura de um Cristo desmaiado de dor, na cena central da Crucificação, enquanto a mais terrível escuridão se abate sobre o gênero humano, refletindo a profunda devoção mística do movimento conhecido como Devoção Moderna...


“Guernica” (1937), de Pablo Picasso
Museu Rainha Sofia, em Madri – Reino da Espanha
O bloco abaixo foi emitido pelo Reino da Espanha em 1981, para Comemorar o Centenário de Nascimento de Pablo Picasso e mostra a obra “Guernica” (Scott: 2252, Yvert Bloco 29 e 29a); a qual tive a oportunidade de contemplar em 04/1998.

“O Retorno do Filho Pródigo” (1669), de Rembrandt
Museu Ermitage, em São Petersburgo (ex-Leningrado) – Federação Russa
Tive a oportunidade de contemplar em 08/2004.

Entrada principal !
Última atualização: 02/12/2011.
EXTRAIDO DE  www.giramania.com.br

Renascimento Científico



Na área científica podemos mencionar a importância dos estudos de astronomia do polonês Nicolau Copérnico. Este defendeu a revolucionária idéia do heliocentrismo (teoria que defendia que o Sol estava no centro do sistema solar). Copérnico também estudou os movimentos das estrelas.
Galileu Galilei Galileu Galilei: um dos principais representantes do Renascimento Científico
Nesta mesma área, o italiano Galileu Galilei desenvolveu instrumentos ópticos, além de construir telescópios para aprimorar o estudo celeste. Este cientista também defendeu a idéia de que a Terra girava em torno do Sol. Este motivo fez com que Galilei fosse perseguido, preso e condenado pela Inquisição da Igreja Católica, que considerava esta idéia como sendo uma heresia. Galileu teve que desmentir suas idéias para fugir da fogueira.
A invenção da prensa móvel, feita pelo inventor alemão Gutenberg em 1439, revolucionou o sistema de produção de livros no século XV. Com este sistema, que substituiu o método manuscrito, os livros passaram a ser feitos de forma mais rápida e barata. A invenção foi de extrema importância para o aumento da circulação de conhecimentos e ideias no Renascimento




Extraido de Superpesquisa

quarta-feira, 2 de maio de 2012

10 Mentes mais influentes no renascimento cultural



Renascimento cultural foi um movimento artístico-intelectual que, a partir do séc. XV, recusou o pensamento religioso medieval, colocando o ser humano no centro de todos os interesses. Assim, não é de estranhar quegrandes pensadores, artistas e escritores tenham surgido neste momento de tantas transformações na Europa. Esta lista é sobre eles.
1. Michel de Montaigne
Michel Eyquem de Montaigne (1533-1592) foi um escritor e ensaista francês, considerado por muitos como o inventor do ensaio pessoal. Nas suas obras, analisou as instituições, as opiniões e os costumes, debruçando-se sobre os dogmas da sua época e tomando a generalidade da humanidade como objeto de estudo. É considerado um cético e humanista. Se interessava por autores antigos, especialmente os latinos mas também gregos, pois encontrava máximas e reflexões que o ajudavam na sua vida diária e na sua auto-descoberta.
Obras: Ensaios


2. André Vesálio

Andries van Wesel (1514-1564) foi um médico belga, considerado o “pai da anatomia moderna”. Foi o autor do primeiro atlas de anatomia, publicado em 1543. Muito pouco havia sido descoberto sobre anatomia e fisiologia desde a Antigüidade, cujas descobertas foram baseadas na dissecação de animais. A falta de aulas práticas de anatomia na Universidade de Paris acabou levando Vesalius, assim como Michelangelo, a freqüentar cemitérios em busca de ossadas de criminosos executados e vítimas de praga.
Obras: De Humani Corporis Fabrica, Tabulae Sex



3. Sandro Botticelli

Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi (1444-1510) foi um célebre pintor italiano da Escola Florentina. Em suas obras, seguiu os preceitos da perspectiva central e estudou as esculturas da Antiguidade, evoluindo posteriormente para a acentuação das formas decorativas e da atenção dispensada à harmonia linear do traçado e ao vigor e pureza do colorido. Em Florença, era protegido da família Médici, para os quais executou registros da pintura de cunho mitológico. Trabalhou também em Roma Vaticano, produzindo afrescos para a Capela Sistina.
Obras: O Nascimento de Vênus, A Primavera, A Adoração dos Magos, O Castigo dos Rebeldes






4. Miguel de Cervantes

Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616) foi romancista, dramaturgo e poeta espanhol. Seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura mundial. Com Don Quixote de la Mancha, uma sátira aos romances de cavalaria, tornou-se o precursor do realismo na Espanha. Em sua vida, tudo conspirou contra sua carreira de escritor. Lutou na batalha naval de Lepanto, contra o império turco, onde teria perdido o movimento das mãos. Ingressou na literatura publicando alguns poemas, mas inicialmente não obteve êxito em sua incursão como escritor. Obteve a consagração como escritor apenas aos 58 anos.
Obras: Dom Quixote, Galatea






5. William Shakespeare

William Shakespeare (1564-1616) foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. De suas obras restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas do globo, e são encenadas mais do que qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas, especialmente os do teatro, permaneceram vivos até aos nossos dias, sendo revisitados com freqüência pelo teatro, televisão, cinema e literatura.
Obras: Hamlet, Romeu e Julieta, Sonho de uma Noite de Verão, A Megera Domada


6. Erasmo de Rotterdã

Desiderius Erasmus Roterodamus (1466-1536) foi um teólogo e um humanista neerlandês (atual Holanda). Em seu tempo, foi um dos maiores críticos do dogma católico romano e da imoralidade do clero. Mas não deixou de atacar também o movimento protestante de Lutero. Durante a sua vida, as autoridades da Igreja católica nunca o chamaram a justificar as suas opiniões. Após a sua morte, porém, a Igreja católica romana colocou seus escritos no Index librorum prohibitorum, uma lista de livros proibidos pela Igreja.
Obras: Elogio da Loucura


7. Michelangelo Buonarroti



Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475-1564) foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente. Ainda em vida, foi considerado o maior artista de seu tempo. Chamavam-no de “Divino”, e ao longo dos séculos, até os dias de hoje, vem sendo tido como um dos maiores artistas que já existiu e como o protótipo do gênio.

Obras: Davi, Moisés, Teto da Capela Sistina, La Pietá



8. Leonardo da Vinci

Leonardo di ser Piero da Vinci (1452-1519) foi um polímata italiano, que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. É ainda conhecido como o precursor da aviação e da balística. Leonardo foi descrito como o arquétipo do homem do Renascimento, alguém cuja curiosidade insaciável era igualada apenas pela sua capacidade de invenção. É considerado um dos maiores pintores de todos os tempos e, possivelmente, como a pessoa dotada de talentos mais diversos a ter vivido.
Obras: Mona Lisa, A Última Ceia, A Virgem das Rochas, O Homem Vitruviano




9. Nicolau Maquiavel

Nicolau Maquiavel (1469-1527) foi um historiador, poeta, diplomata e músico italiano. É reconhecido como fundador do pensamento e da ciência política moderna. Se tornou famoso por defender a visão de que um governante, se necessário, deveria ser cruel para obter e manter o poder. Seus críticos o denunciam como um homem que foi desprovido de moralidade, porém, seus admiradores afirmam que ele foi um dos únicos pensadores que verdadeiramente entendiam o mundo político e que teve a coragem de descrevê-lo como ele realmente é. Ajudou a fundamentar o poder do rei, no contexto do Absolutismo Monárquico.
Obras: O Príncipe, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio


10. Galileu Galilei

Galileu Galilei (1564-1642) foi um físico, matemático, astrônomo e filósofo italiano que teve um papel preponderante na chamada revolução científica. Galileu melhorou significativamente o telescópio refrator e com ele descobriu as manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter, os anéis de Saturno, as estrelas da Via Láctea. Estas descobertas contribuíram decisivamente na defesa do heliocentrismo, ou seja, a ideia de que o sol está no centro do universo.
Obras: Sobre o movimento, Cartas sobre manchas solares




Fonte: Site  do História Digital